Relembrar é viver…

Dicas nostálgicas da Tia Revy!

Alguns animes antigos que fizeram parte da nossa vida!

(atualizado em )
Por , em Principal. Link permanente:

Estou de volta, pessoal!

O tempo passa muito rápido, e nós, da geração dos anos 90, somos todos adultos agora. Os animes que nós víamos quando éramos mais novos não são do mesmo jeito dos de hoje; eu gosto da mudança que se pode ver tanto em relação à arte quanto em relação à dublagem e traços dos animes, mas sabemos que “cada tempo tem seu tempo” e a tendência da vida sempre será a mudança. Graças à internet, no entanto, podemos sempre relembrar os nossos animes favoritos, alguns velhos e outros nem tão velhos assim.

Por isso resolvi fazer uma lista de alguns animes que eu assistia quando era mais nova, e recomendando a vocês que não assistiram que vejam!!

1. Guerra das Galáxias Link

  • Título original: Chō Jikū Yōsai Macross (Fortaleza Superdimensional Macross)
  • Gênero: Sci-fi
  • Estúdio: Tatsunoko e Studio Nue
  • Exibição no Japão: Tv Mainichi
  • Exibição no Brasil: Record e CNT/Gazeta
  • Ano: 1982
  • Episódios: 36

Recomendado pelo meu amigo Melqui de Oliveira.

Em 1999, uma nave de origem extraterrestre cai em uma ilha do Pacífico Sul chamada South Ataria. Os países da Terra, que naquele momento estão envoltos em uma violenta Guerra Civil Global, entram em um acordo para formar um Governo da Terra Unida para organizar a defesa mundial frente a um possível ataque extraterrestre. Este governo decide restaurar a nave extraterrestre, conhecida agora como SDF–1 (Super Dimension Fortress 1) Macross, e colocá-la a serviço da frota terrestre.

Dez anos depois, a SDF–1 Macross está pronta para voar quando uma frota pertencente a uma raça extraterrestre de gigantes chamada Zentraedi chega à Terra atrás da nave pertencente a uma “raça” inimiga, a dos protoculture. Após um disparo automático do canhão principal, realizado pelo sistema de defesa da SDF–1, contra a frota Zentraedi, se inicia um combate entre as forças da Terra e os Zentraedi. A série mostra a viagem da SDF–1 de volta a Terra, trazendo a bordo os civis da ilha Macross, que reconstruíram a cidade no interior nave.

Pra mim (opinião do Melqui) ele foi o anime responsável por me fazer ser fã das animações japonesas, já que foi o primeiro que eu me recordo de assistir na infância. Na verdade eu já tinha visto alguns outros, mas Macross foi o que verdadeiramente me impactou!

2. Sailor Moon Link

  • Título original: Bishōjo Senshi Sailor Moon
  • Gênero: Aventura, comédia romântica, fantasia, magia, shōjo
  • Autora: Naoko Takeuchi
  • Direção: Jun’ichi Satō
  • Estúdio: Tōei Animation
  • Exibição no Brasil: Manchete, Cartoon Network e Record
  • Ano: 1992
  • Episódios: 200

Tudo começou quando uma garota muito boba e atrapalhada chamada Serena Tsukino encontrou-se com uma gata chamada Luna, que deu a ela poderes mágicos. Ela lhe disse que teria que acabar com os malfeitores (Rainha Beryl e seus capangas) até encontrar com a Princesa da Lua. Luna lhe deu um broche de transformação: ao dizer “Pelo poder do prisma lunar!” (no original, “Moon prism power, make up!”), Serena se converte em Sailor Moon. Ao longo do tempo ela encontra outras guerreiras: Sailor Mercúrio (Ami Mizuno), Sailor Marte (Rei Hino), Sailor Júpiter (Lita Kino) e a Sailor Vênus (Mina aino), que foi a precursora de todas as outras.

Sou suspeita pra falar sobre este anime, eu tenho uma devoção por toda a saga de Sailor Moon! Um dos animes que com toda a certeza fez parte da minha infância apesar de muitos anos depois de lançado eu ter assistido (até porque nasci em 1997) um anime que até hoje tem continuação.

Tenho certeza que não só pra mim, mas pra muitas pessoas, tanto homens quanto mulheres, Sailor Moon e um dos ícones quando falamos de anime. Pra não ficar mais longo, recomendo de coração pra quem nunca viu que veja!

3. Yū Yū Hakusho Link

  • Gênero: Ação, artes marciais, comédia, fantasia, shōnen
  • Autor: Yoshihiro Togashi
  • Direção: Akiyuki Arafusa, Noriyuki Abe
  • Estúdio: Pierrot
  • Exibição no Brasil: Manchete e Cartoon Network
  • Ano: 1992
  • Episódios: 112

A série conta a história de Yūsuke Urameshi, um bad boy que morreu atropelado ao tentar salvar uma criança. Como seu ato foi inesperado por todos, principalmente pelo Mundo Espiritual, Yūsuke teve a chance de voltar a viver quando decidiu salvar uma amiga de infância em troca de seu retorno ao Mundo dos Humanos. Ao retornar à vida na Terra, descobre que uma condição para o seu retorno era a de se tornar um Detetive Sobrenatural, devendo se dedicar a combater os demônios do Mundo das Trevas que por um acaso venham a se infiltrar no Mundo dos Humanos.

Confesso que faz pouco tempo que assisti (uns 2 anos). O personagem principal não e o típico herói, mas com o tempo uma parte da personalidade dele que ele não mostrava muito começa a aparecer no decorrer do anime. A maioria tem problemas com animes dublados, mas eu assisti dublado e gostei muito! Sabe aquele amor básico por aberturas dubladas?❤Então, eu sofro disso, e apesar de ser antigo, é muito engraçado e legal. Assistam!

4. Os Cavaleiros do Zodíaco Link

  • Título original: Saint Seiya
  • Gênero: Ação, aventura, fantasia, shōnen
  • Estúdio: Tōei Animation
  • Exibição no Japão: TV Asahi
  • Exibição no Brasil: Manchete, Cartoon Network, Band, Rede 21, Play TV, Rede Brasil
  • Ano: 1986
  • Episódios: 114

Os Cavaleiros do Zodíaco conta a história de um grupo de cinco jovens guerreiros que tinham de lutar para proteger Saori Kido, a reencarnação da deusa da sabedoria grega Atena, das forças do mal. Para lutar, os guerreiros não somente utilizavam sua energia interior, denominada Cosmo, como também seus punhos e armaduras que serviam para sua proteção e que eram inspiradas nas constelações do Zodíaco e seres da mitologia grega.

Aquele anime que todo fim de tarde a família se juntava e assistia junto na Band! Pelo menos era assim aqui em casa, eu e meu irmão temos três anos de diferença na idade, mas nosso anime favorito quando crianças era Cavaleiros, não perdíamos um episodio, um dos meus primeiros animes. Com certeza nunca vou esquecer!

5. Hana Yori Dango Link

  • Gênero: Drama, romance, shōjo, vida escolar
  • Autora: Yōko Kamio
  • Direção: Yōko Kamio
  • Estúdio: Tōei Animation
  • Ano: 1996
  • Episódios: 51

Makino Tsukushi, personagem principal, é uma garota de uma família pobre que, apesar das dificuldades financeiras, conseguiu ser admitida em uma escola de pessoas extremamente ricas. Para que ela possa estudar, sua família passa, com orgulho, por muitas privações, na esperança de que a filha consiga conquistar um herdeiro milionário. Nessa escola, Eitoku Gakuen, os alunos esbanjam suas vantagens financeiras; porém, os que mais se destacam são um famoso grupo de quatro rapazes chamado de Flower Four, os F4 (flores no sentido de preciosos), que são os herdeiros das mais poderosas famílias do Japão. Pelo poder financeiro dos seus nomes, eles ditam as regras na escola, passando por cima até mesmo dos professores e diretores.

A palavra tsukushi, nome da protagonista, significa erva-daninha. Basicamente é o que a personagem é considerada pelo F4 e o restante da Eitoku Gakuen. No decorrer da história, ela decide agir como o seu nome…

Totalmente alem do seu tempo, Makino enfrenta sozinha quatro garotos que se acham os tais da escola, sem contar que as caras que os personagens fazem são muito engraçadas! Super recomendo!

6. InuYasha Link

  • Genero: Aventura, comédia romântica, fantasia, shōnen, sobrenatural
  • Autor: Rumiko Takahashi
  • Direção: Masashi Ikeda, Yasunao Aoki
  • Estúdio: Sunrise
  • Ano: 2000
  • Episódios: 193 (167 da série original + 26 de The Final Act)

A história se introduz com o jovem Inuyasha, que, segundo a história desenvolvida por Rumiko Takahashi, é um han’yō (um meio-yōkai), por ser filho de um yōkai com uma humana, e vive no Japão feudal. Kagome Higurashi é uma colegial comum e reencarnação da sacerdotisa Kikyō, e que mora no Japão atual; um dia, é puxada por um poço misterioso, perseguida por um monstro, e vai parar no Japão na época feudal (Sengoku Jidai), em um vilarejo. Lá encontra Kaede, e enquanto conversam, o monstro volta e tenta matar Kagome, e pegar a Joia de Quatro Almas (Shikon no Tama em japonês) que está em seu corpo, então ela foge para a floresta.

Durante a perseguição, ela encontra o Inuyasha, que estava selado em uma árvore por uma flecha que foi lançada pela Kikyō (falecida irmã mais velha de Kaede). Ele acorda e a chama de Kikyō, mas quando percebe que não é ela (depois Kaede revela que Kagome é a reencarnação de sua irmã), pede a Kagome para soltá-lo para salvá-la do monstro que a perseguia. Ela o solta, e ele destrói o monstro.

Inuyasha logo tenta matar Kagome também para pegar a Joia de Quatro Almas, mas Kaede aparece e joga no pescoço de Inuyasha um rosário, pedindo para que Kagome fale uma palavra espiritual (qualquer palavra), que ela seria a chave para acalmar Inuyasha. Ela fala “Senta” (osuwari em japonês) inspirando-se nas orelhas caninas do yōkai, e ele cai no chão.

No outro dia, um yōkai corvo engole a Joia de Quatro Almas e, na tentativa de resgatá-la, Kagome atira uma flecha nele, mas que acaba acertando a Joia também, que é despedaçada em centenas de pedaços e espalhados por todo Japão Feudal. Inuyasha, mesmo não gostando de Kagome (por ela ser muito parecida com Kikyō), é obrigado a se juntar a ela para juntar os fragmentos. Eles passam a depender um do outro pois Kagome sente a presença dos fragmentos e Inuyasha a protege contra os monstros que aparecem no caminho.

Inuyasha quer a Joia para se transformar em um yōkai completo e mais poderoso, e Kagome porque a despedaçou e tem essa obrigação. No começo, os dois se odeiam, mas depois começam a se apaixonar e futuramente se casam.

Este anime faz parte da lista de todos os otakus que eu conheço, todo mundo já viu, e todos gostam da historia do anime, são poucas as pessoas que eu conheço que não gostaram.

7. Black Lagoon Link

  • Gênero: Ação, seinen
  • Autor: Rei Hiroe
  • Direção: Sunao Katabuchi
  • Estúdio: Madhouse
  • Ano: 2006
  • Episódios: 12

Rokurō Okajima é um típico homem de negócios japonês, que vive em sua rotina diária, até que ele é enviado por sua empresa ao Sudeste Asiático com um disco contendo informações ultrassecretas. Chegando lá, ele é sequestrado por piratas dentro de um navio chamado Black Lagoon. Ele pensou que a empresa pagaria a recompensa, mas a empresa resolve mandar mercenários para recuperar o disco e “calar a boca” de Rokurō. Ele dificilmente consegue escapar com vida, mas agora não tem para onde ir. Ele resolve esquecer seu nome e seu passado e viver como um membro da Black Lagoon.

Este e especial pra mim, um dos meus favoritos, inclusive a origem do meu nickname vem deste anime! Uso-o tanto pra jogos quanto pra qualquer outra coisa. Espero que quem já assistiu tenha gostado com eu gostei!

8. Hamtaro Link

  • Título original: Tottoko Hamtaro
  • Gêneros: Ação, comédia
  • Autora: Ritsuko Kawai
  • Diretor: Osamu Nabeshima
  • Estúdio: TMS Entertainment
  • Ano: 2000
  • Episódios: 296

Laura Haruna é dono de um hamster, e seu nome é Hamtaro. Depois de se mudar para uma nova cidade, Hamtaro descobre que ele está na companhia de lotes de diferentes hamsters, tornando-se um grupo de amigos de hamster que vão em aventuras loucas pela cidade. Antes de salvar Laura e outros seres humanos de impasses desagradáveis, no entanto, eles têm que aprender a se salvar.

Quem não conhece o anime já viu alguma imagem desse bichinho fofinho. Eu gostava de assistir, coloquei este mais pra relembrar!

9. Digimon Adventure Link

  • Gênero: Ação, aventura, fantasia, kodomo, shōnen
  • Autor: Atsushi Maekawa, Genki Yoshimura
  • Direção: Hiroyuki Kakudō
  • Estúdio: Tōei Animation
  • Ano: 1999
  • Episódios: 54

Sete crianças estão num acampamento de verão quando, inesperadamente, uns estranhos aparelhos caem do céu: os Digivices (digital devices ou dispositivos digitais). Elas, então, são transportadas para o Mundo Digital (Digimundo), mais propriamente para uma ilha conhecida como Ilha Arquivo. Cada uma das crianças conhece um Digimon que se torna seu companheiro. Para tentarem voltar para casa, as crianças percebem que existem Digimon bons e Digimon maus. Eles iniciam uma luta contra os inimigos que pretendem dominar o Mundo Digital com a força da Escuridão, contando com a ajuda dos seus Digimon que, com o passar do tempo, se tornam mais poderosos e conseguem se converter em criaturas maiores e mais fortes.

Dava direto, lembrei deste porque meu irmão adorava!

10. Pokémon Link

  • Gênero: Aventura, comédia, fantasia, kodomo
  • Autor: Satoshi Tajiri, Ken Sugimori
  • Direção: Masamitsu Hidaka
  • Estudio: Oriental Light and Magic, Shōgakukan
  • Ano: 1997
  • Episódios: Em andamento!

Pokémon inicialmente surgiu como uma franquia de games da Nintendō. A série foi apresentada originalmente no Japão, pela TV Tokyo, a partir de 1997 e ainda hoje se encontra em franca produção. Além da série de televisão, também ocorreram expansões para vários mangás, jogos de cartas e filmes, assim como uma gama de quinquilharias de diversas espécies.

Dava na televisão, tinha cartas, tinha brindes nos pacotes de biscoito… Melhor época pra ser criança, e gastar a mesada com comida e brinde vir junto? Nada a declarar!


Obs: Não separei por ano ou por qualidade e só fui lembrando e escrevendo sobre eles. Espero que gostem!